SOLIDARIEDADE AOS PRESOS POLÍTICOS DO BRASIL!! – UNIPA

liberdadeEstamos vivendo um momento decisivo. O ano de 2014 vai chegando ao final anunciando ataques brutais aos trabalhadores do campo e da cidade. O tão falado “legado da Copa” começa a se expressar de maneira mais clara em nossa realidade: repressão ao povo e aos lutadores, arrocho salarial, retirada de direitos, benefício do “agronegócio”.

O discurso eleitoral “democrático-popular” dos governistas, utilizado para reviver ilusões e pressionar pelo medo do “retrocesso” uma parcela da população, tão logo acabou as eleições e se desfez como um castelo de cartas. O governo Dilma/PT e todos os partidos da ordem (da direita e da esquerda) anunciam uma política cada vez mais violenta e feroz contra os trabalhadores e jovens que se levantam pelos direitos do povo. Afinal, a crise está aí.

Mas o caminho da conciliação de classes não é eterno para os oportunistas e inimigos do povo. Desde o levante que sacudiu o país em junho de 2013, uma nova geração de lutadores se ergueu. Mais do que isso, a consciência geral da classe trabalhadora teve profundas modificações com a experiência coletiva da ação direta e da luta por direitos de forma autônoma e combativa. São esses lutadores e lutadoras (e organizações inteiras tachadas de “terrorristas” pelos relatórios policiais – políticos) forjados/as nas ruas, que hoje são cassados e presos. 

É por isso que a burguesia e os políticos começam a melhor armar e equipar seus cães policiais e seu sistema de exceção para caçar os opositores. Porque não consegue mais através da compra de lideranças e burocracia entravar o movimento de massas. Não porque as burocracias agora estejam contribuindo com a luta, mas por que estas foram sumamente desmascaradas e atropeladas pelas bases no último período e não conseguem mais cumprir facilmente o seu papel.

As burocracias sindicais e partidárias atuaram como papagaios da Copa do Mundo e das eleições. E irão pagar o seu preço agora, quando o “legado da copa e das eleições” vier atacar os trabalhadores e o povo pobre. As burocracias governistas do movimento sindical, estudantil e popular são cúmplices e peças chave deste projeto de Estado neo-desenvolvimentista e militarista.

Por isso é necessário defender com todas as forças os presos políticos do Rio de Janeiro e do Brasil. Por que eles são os presos da juventude e do povo que foi a rua em 2013 e 2014. Por que se não fizermos nada eles serão apenas os primeiros de diversos outros presos políticos. Defender politicamente a liberdade de manifestação, preparar organizativamente a auto-defesa, bem como denunciar cada ato fascista do Estado brasileiro é um dever de todo anarquista revolucionário e trabalhador consciente. A liberdade dos presos será conquistada nas ruas e com a pressão popular! As prisões e perseguições do Estado não poderão deter o avanço da revolta e reorganização da classe trabalhadora!

LIBERDADE PARA TODOS OS PRESOS POLÍTICOS!

RECONSTRUIR O SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO!

MORTE AO ESTADO E AO CAPITAL!

Atenas: Acerca do fim da greve de Nikos Romanos

ΕΠΕΤΕΙΟΣ ΔΟΛΟΦΟΝΙΑΣ ΑΛΕΞΗ ΓΡΗΓΟΡΟΠΟΥΛΟΥ  ΕΠΕΙΣΟΔΙΑ ΣΤΑ ΕΞΑΡΧΕΙΑNikos Romanos, prisioneiro anarquista na Grécia, esteve em greve de fome desde 10 de Novembro até 10 de Dezembro de 2014. Os mecanismos judiciais recusaram a sua solicitação de licença para assistir às aulas da universidade. Em resposta a isso, acções multiformes de solidariedade tiveram lugar dentro e fora das prisões da democracia grega e internacionalmente.
Read More

Presxs Políticxs Liberdade Já!

presos

No dia 16/12/2014, foi realizado o julgamento das pessoas sequestradas pelo estado e que estão sendo perseguidas por fazerem parte de movimento sociais que questionam a lógica sócio econômica vigente. Por volta de 100 pessoas ocuparam a porta do Tribunal Regional Eleitoral, local onde acontecia o julgamento, para demonstrarem apoio as companheiras perseguidas e denunciar a política fascista e classista que o estado realiza.
Read More

Atividade AMANHÃ em Bangu, contra o aumento das passagens.

Como uma das atividades que estamos fazendo contra o aumento na passagem, anunciado pela Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU) . O Encontro contra o aumento das passagens* estará realizando essa atividade com para dialogar com a população que pega as linhas de Bangu. Em frente ao supermercado Guanabara, pelo da estação de trem de Bangu
Vamos! Todas e todos lá!

Aumento nunca mais!
Por uma vida sem catracas!

MPL-RIO

 

Nota de repúdio às perseguições políticas no Rio de Janeiro – Federação Anarquista do Rio de Janeiro

A Federação Anarquista do Rio de Janeiro (FARJ) organização integrante da Coordenação Anarquista Brasileira (CAB) vem repudiar as recentes prisões e mandados de prisão contra vários ativistas cariocas.

A criminalização de militantes, organizações e movimentos sociais só mostra cada vez mais que a luta popular é tratada pelos poderes instituídos como caso de polícia. Não é coincidência, que tal procedimento de perseguição, se dê, justamente perto de um novo anúncio de aumento das tarifas dos transportes públicos no Rio de Janeiro!

A resposta das organizações políticas, movimentos e militantes deve ser dada com organização e luta! Não aceitaremos a perseguição do Estado e continuaremos a nos organizar, nas bases e nas ruas!

Protestar não é crime!

Liberdade para Igor Mendes!

Liberdade para Rafael Braga!

Liberdade para todos os lutadores e lutadoras presos e perseguidos/as!!

Com a palavra, Jandira Mendes, mãe do companheiro sequestrado pelo estado Igor Mendes

Declaração do V Encontro do Norte e Nordeste das Organizações Anarquistas Especifistas – 2014

“[…] A revolução universal é a revolução social, é a revolução simultânea

do povo dos campos e das cidades”

Mikhail Bakunin

 

Reunidos nos dias 28, 29 e 30 de Novembro de 2014, em Maceió, o V Encontro do Norte e Nordeste das Organizações Anarquistas Especifistas cravaram de forma solida e madura um espaço permanente e fértil para os debates políticos, acúmulos organizativos, fomento da luta, solidariedade e trocas de experiências.

Em nosso V Encontro, recebemos de braços abertos a Organização Anarquista Maria Iêda, de Pernambuco. Em nossa caminhada rumo ao Socialismo Libertário nos agrada saber que em mais um passo que damos outra organização irmã decidiu trilhar o mesmo caminho. Com muita satisfação comemoramos a ampliação da discussão em torno do especifismo na Bahia, e por conta dessa ampliação hoje o Coletivo Anarquista Ademir Fernando – CAAF compõe o Fórum Anarquista Especifista, FAE-BA, processo que está sendo animado em quatro cidades. Com a mesma felicidade e sentimento de irmandade agradecemos também a presença e colaboração da Federação Anarquista do Rio de Janeiro – FARJ em nosso encontro. Os anarquistas especifistas em luta no Norte e Nordeste unidos e de prontidão para a transformação social agradecem as ricas e valorosas presenças em nosso meio.

Read More

Chamado internacional para ações de solidariedade xs presxs da Copa

Chamado internacional para ações de solidariedade xs presxs da Copa

No dia 12 de julho, na véspera da final da Copa do Mundo, a Polícia do Rio de Janeiro prendeu 19 ativistas, visando desarticular o grande protesto marcado para o dia da final, sob a justificativa de que elxs teriam participado de atos “violentos” nas revoltas do ano passado e de que estariam planejando outras ações na manifestação da final da Copa do Mundo. No total 23 mandados de busca e apreensão e de prisão temporária foram cumpridos contra pessoas acusadas de participar de movimentos sociais, os mandatos eram de 5 dias de prisão preventiva, 4 pessoas conseguiram escapar do sequestro da policia.

Xs ativistas foram levados à Cidade da Policia no Rio de Janeiro, um grande complexo de delegacias construído para dar conta da repressão àquelxs que contestam os mega-eventos e a lógica da cidade mercado. Nesse grande complexo se encontra a DRCI, Delegacia de Repressão aos crimes de Informática, que desempenha atualmente o papel da histórica Delegacia de Ordem Política e Social, a famigerada DOPS criada em 1924 para reprimir xs anarquistas, utilizada principalmente durante o Estado Novo e mais tarde no Regime Militar de 1964, com o objetivo de controlar e reprimir movimentos políticos e sociais contrários ao regime no poder. Em seguida foram todxs encaminhadxs para o complexo penitenciário de Bangu.

Alguns dias depois foi concedido um habeas corpus que libertou 18 dos ativistas que estavam presxs. Logo em seguida, a justiça decretou novamente a prisão dessas 18 pessoas, que no entanto escaparam e permaneceram foragidxs. Camila, Igor Pereira e Elisa (Sininho) continuaram presxs por volta de 10 dias, quando foi concedida liberdade provisória à todxs, menos para Caio Silva e Fábio, presos em janeiro deste ano acusados de homicídio. Xs ativistas passam por um momento difícil de criminalização e perseguição, mesmo esperando julgamento em liberdade, não podem deixar a cidade nem participar de manifestações e aglomerações públicas. Nesse mês de dezembro, Igor Mendes foi preso novamente e mais 2 compas ficaram foragidxs, acusadxs de descumprirem a ordem judicial e terem participado de um ato público pacífico no último 15 de outubro, representando, segundo a justiça, uma ameaça a ordem pública. Mais prisões podem surgir a qualquer momento e os julgamentos que acontecem ao longo dos próximos meses ainda pode levá-los a condenação. A Polícia afirmou que as prisões são baseadas em investigações que vem ocorrendo em segredo de justiça desde Setembro de 2013 contra a Frente Independente Popular (FIP), black blocs e outros grupos de ativistas, acusados de formação de quadrilha. A metodologia da polícia é o monitoramento, e a quebra do sigilo e da privacidade das pessoas. Xs 23 militantes são indiciados por uma extensa e absurda lista de infrações que vão desde quadrilha armada, até porte de explosivo, depredação de patrimônio público e privado, resistência e lesão corporal, e corrupção de menores.

O estado que fez mais presas e presos políticos no Rio pra que pudesse ocorrer uma partida futebol é o mesmo estado que fecha escolas, que mata nas favelas e que fez a Copa. Com essas prisoes o Estado brasileiro escreveu mais uma página em sua história, foi o dia em que todas as máscaras caíram, nem só a do Estado, mas também de partidos e grupos que o querem como ele é, que participam dessa tal democracia, dessa tal representatividade parlamentar. Neste dia o Estado disse com todas as letras “GUERRA CONTRA O POVO”, não de forma subliminar, mas pra quem quisesse ouvir. Nas favelas já se sabe disso há muito tempo, as marchas de junho/julho de 2013 também tentaram avisar, mas dessa vez foi em horário nobre e com todas as letras. Onde toda a população viu que o mesmo Estado que cria as leis às rompe quando bem entende, assim como sempre fez com a população pobre e negra durante toda a história de genocídios do Estado brasileiro.

Convidamos à todxs a organizar ações em solidariedade xs presxs da Copa em sua cidade. Não podemos nos calar diante da terrorismo de Estado do governo brasileiro e da ditadura da FIFA. Todos sabem da importância das revoltas em massa que ocorreram no Brasil desde junho de 2013 até agora, pois foram um marco na história desse povo, um momento de ruptura com as estruturas vigentes, um grito de basta para diversas opressões e violências históricas contra o povo. As forças de repressão querem a todo custo conter a indignação da população amedrontando xs ativistxs por meio da perseguição, querem retomar o controle e conformar as pessoas à voltarem a miséria da vida cotidiana e para isso estão dispostas a jogar na cadeia todxs aquelxs que não recuarem nessa luta. Nossxs companheirxs precisam de todo o apoio para vencermos mais essa batalha e se manterem nas ruas, nas assembleias e na mobilização popular.

Nenhum passo atrás! Ninguém fica pra trás! Pelo fim imediato das perseguições!

Lista dxs indiciadxs no caso:

- Elisa Sanzi (Sininho), Luiz Carlos Rendeiro Junior, Gabriel Marinho, Karlayne Pinheiro (Moa), Eloisa Samy, Igor Mendes, Camila Jourdan, Igor D’Iicarahy, Drean Moraes, Shirlene Feitoza, Andressa Feitoza, Leonardo Baroni, Emerson da Fonseca, Rafael Caruso, Filipe Proença, Pedro Freire, Felipe Frieb, Pedro Brandão, Bruno Machado, André Basseres, Joseane Freitas, Rebeca Martins, Fabio Raposo e Caio Silva Rangel

Dezembro de 2014,

Cruz Negra Anarquista – Rio de Janeiro

Estado executa mais prisões no Rio de Janeiro!

Via CNA-Rio

A polícia civil (DRCI) executou na manhã dessa quarta feira, 3/12/14, novas prisões às pessoas perseguidas por mobilização política desde junho até a Copa do mundo. Igor Mendes foi preso de manhã em casa E JÁ SE ENCONTRA PRESO EM BANGU. A informação até agora é de que outros 3 mandatos foram expedidos para Moa, Gabriel e Sininho, que se encontram foragidxs. Não se sabe o motivo das prisões, especula-se que a acusação seja o descumprimento de alguma exigência do Habeas Corpus, como a interdição de mobilizações políticas.

Xs ativistas se encontravam em liberdade com restrições desde que foram presos na véspera da final da Copa do Mundo e posteriormente soltos por um Habeas Corpus. Os julgamentos se inciaram no final deste ano e as audiências seguem até fevereiro. A continuação das perseguições, prisões e processos jurídicos é uma clara ameaça aos movimentos sociais e a todxs aquelxs que lutam, é uma coação do Estado para manter seu jugo de repressão e miséria na população que mostrou sua força nas revoltas que tomaram o país, e especialmente a cidade do Rio de Janeiro.

Uma plenária em caráter de urgencia foi puxada para hoje, 19h, no Sindisprev, pelo Comitê Contra o Estado de Exceção. Um ato contra as perseguições já estava marcado para o próximo dia 16 de dezembro, na ocasião do julgamento de Felipe Proença, Rebeca Martins e Caio Silva.

LIBERDADE JÁ A TODXS XS PRESXS POLÍTICXS!

BASTA DE PERSEGUIÇOES! PELO FIM DOS PROCESSOS!

VANDALO É O ESTADO!

Justiça intima para audiências as 23 presas, presos e perseguidos políticos do dia 12 de Julho.

Justiça intima para audiências as 23 presas, presos e perseguidos políticos do dia 12 de Julho.
Read More

Cadastro

Receba cada postagem nova na sua caixa de email

%d blogueiros gostam disto: